sábado, 27 de março de 2010

O amor em nossas mãos

Hoje estou bem tranquilo quando se trata de assuntos do coração. Acho que as porradas que vida me deu nesse âmbito ou se analisar de uma outra óptica que as pessoas com quem me relacionei me deram, hoje me considero um cara bem maduro dentro desses tópicos que tratam de "coração" e relacionamentos.

O mais engraçado de tudo isso é que cada um é bem diferente do outro e não da para entramos em um relacionamento achando que sabe de tudo, pois o que vc aprendeu no relacionamento anterior apenas lhe deu embasamento para vc estruturar novas reações diante das novas situações vividas.

Sofre por amor, quem nuca sofreu? Isso é tão bonitinho né? Mas tão doloroso!

Reavaliando o fim dos meus relacionamentos, que não foram muito (na ponta do lápis 3 ao todo), observei que tive muitas culpas e de certa forma em todos eles entreguei ao extremo o meu amor. Não, não pense que me arrependo, mas poderia ter agido com cautela, mas se parar para analisar a cautela diante de minha ações não teria vivido o que vivi.

Todos os momentos foram maravilhosos, ate os ruins (engraçado isso), mas foram mesmo! Até na hora de me dizerem: " Acho melhor parar por aqui pois não quero me lhe machucar", mesmo tendo chorado horrores no dia não vejo que isso mostrou minha fraqueza. Pelo contrário mostrou que naquele momento estava disposto a tentar reverter a situações e buscar uma nova saída para manter o relacionamento.

Após essa e outras situações vividas e observadas, vejo que temos todas as cartas na manga para viver um relacionamento bem, mas nos cegamos para isso.

Se vc tem a reciproca de um amor verdadeiro, pode ter certeza que as coisas estão em suas mãos. Sua felicidade dentro de um relacionamento mesmo que também tenha uma parcela de responsabilidade do outro, ela depende de vc, está em suas mãos. Sabe pq?

- O reflexo da ação do outro na maioria das vezes vem de nossas ações;

- A incerteza de nossas palavras leva a repostas incertas do outro;

- A insegurança em nós mesmos leva a insegurança de um relacionamento;

- A desconfiança no outro acarreta em diversos momentos ruins para o relacionamento;

- A falta de respeito não traz paz em um ambiente amoroso;

- O não delineamento dos limites acaba sufocando o outro dentro do relacionamento;

- A pressão leva o outro a estafa;

Simplesmente o nosso amor depende de nós!

SEMPRE SEREMOS JOVENS PARA AMAR, RECOMEÇAR E REDESENHAR OS NOSSOS CORAÇÕES. PARA ISSO O PRINCIPAL INSTRUMENTO AO QUAL VC NÃO PODE DISPENSAR NESSE PROCESSO É A FIRMEZA DE SUAS MÃOS!

3 comentários:

ilona disse...

Como sempre, escreveu lindamente.
Gostaria de ter ou aparentar, a certeza que você demonstra quando fala de amor. Mas qual seria o sabor deste, se não fosse a incerteza de todos os dias de ausência do ser amado? As vezes a expectativa do dia seguinte traz o segredo da vontade avassaladora de sentir a presença do próximo.
Mas as vezes, a pŕopria saudade mata o sentimento. Triste quando acontece, mas em alguns casos inevitável.

Jeff disse...

Ahhh minha amiga Ilona, realmente não tenho essa certeza toda quando escrevo sobre o AMOR, acho que estou mais para o lado do aparentar (rsrsrs). É verdade a incerteza do outro lhe faz agir no compasso da dança que os sentimentos nos proporcionam. E isso naturalmente faz com que os relacionamentos perdurem, pois a cada dia um busca conhecer o outro e descobrir seus novos limites. Agora o que é ruim é quando o outro não esta certo do que quer e não expões para vc, sei que entra em uma outra esfera, mas esse incerteza estraga o relacionamento, pois lhe traz a cada dia mais dúvidas!

ilona disse...

A certeza dificilmente surge entre duas pessoas que pensam em amor.
Quando não há mais nenhuma esperança é que podemos ver com clareza, é quando temos a deseja certeza que não era amor.